29.4.10

ÁRTEMIS, A DEUSA GUERREIRA

Filha de Zeus com sua amante Leto, Ártemis (conhecida em Roma como Diana, a Caçadora) é a irmã gêmea primogênita de Apolo. Hera, esposa de Zeus, perseguiu Leto de tal modo que nenhum lugar se atrevia a desafiar a rainha do Olimpo e acolhê-la durante o parto, que finalmente ocorreu numa ilha remota. Ártemis logo ao nascer revela seu talento como parteira e auxilia a mãe no nascimento de Apolo. Traumatizada com a perseguição sofrida por sua mãe, ela pede a Zeus que seja virgem para sempre, pois não quer ser submetida à maternidade. Contudo, também pede um séquito de homens virgens. Trata-se de uma deusa associada à vida selvagem e à caça e também à luz da lua e à magia. Seu desejo é estar nas matas, vestindo roupas curtas que a deixam livre e carregando nas costas o seu arco e flechas de prata. De natureza espartana, ela é uma grande guerreira e está sempre competindo consigo mesma, buscando a superação. Ártemis é considerada a mais pura e casta das deusas. Uma vez, sendo surpreendida ao banhar-se em um rio por um caçador, transformou-o em veado e fez com que fosse devorado por sua própria matilha. Ela tem desprezo pela vulnerabilidade e, ao contrário de Atena, entende o ataque de nervos como forma de defender-se. A mulher Ártemis A mulher do tipo Ártemis possui o ideal de ajudar as mulheres e usa um escudo emocional nos envolvimentos afetivos. Não é costume haver aproximação afetiva, mas ataques e rompantes emocionais. Em muitas ocasiões, ela costuma reagir cruelmente quando colocada contra a parede em assuntos do amor. Geralmente ela é a grande parceira, a "brother". Representa um tipo de feminismo que deseja equiparar-se aos homens de igual para igual e a sua sexualidade tende a se manifestar de forma mais masculina. Muitas vezes adia a maternidade em função de outras metas, mas é capaz de fazer um filho de maneira independente, sozinha. Nos desafios, a mulher de natureza Ártemis arregaça as mangas e vai direto ao assunto, de preferência com roupas práticas e sem adornos e acessórios que mais atrapalham do que qualquer outra coisa. Maquiagem? Só se for de guerra. Este é o tipo de mulher que costuma ser indócil muito em função de haver presenciado injustiças logo cedo na vida. Sua lição consiste em aprender que o fato de ser justiceira não impede que ela desenvolva um temperamento mais doce e desarmado. A diferença entre homens e mulheres é um fato e a busca da igualdade radical não faz sentido, pois é justamente no equilíbrio entre as diferenças que a coexistência entre os dois gêneros se torna mais harmoniosa.

7 comentários:

  1. Àrtemis é uma de minhas deusas preferidas.
    Gostei muito do seu blog e voltarei sempre para uma visitinha...adorei também o papo da menopausa porque é o meu dia a dia...rsrs
    Se quiser conhecer meu canto ficarei muito feliz.Já estou te seguindo
    Gde abraço, em divina amizade,
    Sonia Guzzi

    ResponderExcluir
  2. Tentei segui-la mas infelizmente não concluia o processo e não sei porque...
    Quando clico em google não completa, será que estou fazendo besteira?
    Deve ser coisa da menopausa rsrs
    Gde abraço

    ResponderExcluir
  3. Profissão Mãe.


    Uma mulher chamada Ana foi renovar sua carteira de motorista.
    Pediram-lhe para informar qual era sua profissão.
    Ela hesitou, sem saber como se classificar.

    "O que eu pergunto é se tem algum trabalho", insistiu o funcionário.
    "Claro que tenho um trabalho" exclamou Ana. "Sou mãe!"

    "Nós não consideramos mãe um trabalho. Vou colocar dona de casa", disse o funcionário friamente.

    Não voltei a lembrar-me desta história até o dia em que me encontrei em situação idêntica. A pessoa que me atendeu era obviamente uma funcionária de carreira, segura, eficiente, dona de um título sonante.

    "Qual é a sua ocupação?" perguntou.
    Não sei o que me fez dizer isto. As palavras simplesmente saltaram-me da boca para fora: "Sou Doutora em Desenvolvimento Infantil e em Relações Humanas."

    A funcionária fez uma pausa, a caneta de tinta permanente a apontar pra o ar, e olhou-me como quem diz que não ouviu bem.
    Eu repeti pausadamente, enfatizando as palavras mais significativas.

    Então reparei, maravilhada, como ela ia escrevendo, com tinta preta, no questionário oficial.

    "Posso perguntar" disse-me ela com novo interesse "o que faz exatamente?"

    Calmamente, sem qualquer traço de agitação na voz, ouvi-me responder: "Desenvolvo um programa de longo prazo (qualquer mãe faz isso), em laboratório e no campo experimental (normalmente eu teria dito dentro e fora de casa).
    Sou responsável por uma equipe (minha família), e já recebi quatro projetos (todas meninas).
    Trabalho em regime de dedicação exclusiva (alguma mulher discorda?).
    O grau de exigência é a nível de 14 horas por dia (para não dizer 24)"

    Houve um crescente tom de respeito na voz da funcionária, que acabou de preencher o formulário, se levantou, e pessoalmente abriu-me a porta.

    Quando cheguei em casa, com o título da minha carreira erguido, fui recebida pela minha equipe: uma com 13 anos, outra com 7 e outra com

    Do andar de cima, pude ouvir meu novo experimento - um bebê de seis meses - testando uma nova tonalidade de voz.
    Senti-me triunfante!

    Maternidade... que carreira gloriosa!

    Assim, as avós deviam ser chamadas Doutora-Sênior em Desenvolvimento Infantil e em Relações Humanas, as bisavós Doutora-Executiva-Sênior em Desenvolvimento Infantil e em Relações Humanas e as tias Doutora-Assistente.

    Uma homenagem carinhosa a todas as mulheres, mães, esposas, amigas, companheiras, Doutoras na Arte de Fazer a Vida Melhor!

    (Marcelo Dias).

    beijooo.

    ResponderExcluir
  4. Olha.. não conhecia esta minha amiga de infância... pq. eu sou a NEFERTITI, Rainha do Egito e prima irmã da Vênus... Agora esta ai... quero virar amiguinha tb. Sonia linda, amei o texto uma verdadeira aula e como sempre com um objetivo bem contundente... e cheia de toques importantes para o Mulheril Varonil que te segue e adora vc. Bjitos lindona

    ResponderExcluir
  5. Sonia, parabéns!!! teu blog é 10, 100, 1.000!!!!
    Fiquei tão deslumbrada q nem sei o q ler primeiro...rssss
    É interessante e bem humorado, tudo de bom q uma mulher com 5ponto5 como eu poderia encontrar na net... Só lamentei não necessitar da escova progressiva, pois não existe nada mais "lambido" do q o meu cabelo... Vê se arruma algo do tipo "cachos progressivos" ou "cachos definitivos" hahahaha
    Bjinhos borboletas pra tí!!!

    ResponderExcluir
  6. Oi linda, ADOREI teu blog... diz tudo q eu gostaria de dizer!
    Tbm estou na menopausa faz temmmmmmmmmmpo!!!
    Mas o bom disso é que já não precisamos mais ficar "cheia de dedos"... podemos dizer besteiras a vontade... o náximo q vai acontecer é alguém dizer: Coitada!!! tão nova e já senil... hahahaha
    Já tô te seguindo... Sou artista plástica, mas pretendo postar em meu blog um pouco de tudo, dá uma passadinha lá (a-cor-da-gente.blogspot.com)
    Bjo Gde querida!!!

    ResponderExcluir
  7. Olá Sonia,
    Adorei seu blog.......demais!!!!
    Corajosa, resolvida e segura.
    Sou assim....Parabéns!
    Bjs
    Eliana Delatorre

    Visita meu blog
    maisequilibrio.blogspot.com

    ResponderExcluir

Indique o Blog!