30.9.09

VOCÊ ESTA NUMA FASE GRAVING?

Já ouviu falar em GRAVING?
Pois é,eu também nunca tinha ouvido falar!
Um dia num consultório médico ouvi soar essa palavrinha simpática.
Soube superficialmente o que era através do médico.
Ao chegar em casa me joguei nas pesquisas porque estava vivendo uma fase GRAVING e precisava entender melhor essa minha nova fase com esse nome tão chique.

Leia a pesquisa e veja se você também não anda nessa fase.

CRAVING, em analogia à busca ansiosa por uma substancia em particular. É caracterizado por um ataque súbito e irresistível para comer com urgência um alimento, fora das refeições, normalmente busca-se alimentos como chocolate, doces, sorvete ou ricos em carboidratos e gorduras.

O CRAVING deve ser visto do ponto de vista físico e psicológico. Grande parte das calorias do chocolate provem de carboidratos, que interferem na produção de serotonina, neuro transmissor que modula o sistema nervoso. Outra porção provem da gordura, que elevaria os níveis de endorfina, substancia que produz prazer e alivia a tensão. Além da presença de cafeína e da teobromina (componente do cacau) o chocolate contem feniletilamina, que eleva a produção de endorfina.

Só que essa reação bioquímica é imediata e se processa com pequenas quantidades de chocolate. Se a pessoa está em processo de emagrecimento, provém a culpa, a ansiedade como consequência de ter comido, a sensação de descontrole, o medo de “ter estragado tudo” e esse novo desconforto leva a um ato compulsivo.

A maioria das pessoas associa o chocolate, os doces, sorvetes a momentos felizes de suas vidas e, em situações de desconforto interno, como ansiedade, stress ou depressão pode voltar-se automaticamente para esse lenitivo. O alimento, desde a mais tenra idade, constitui o primeiro ansiolítico e antidepressivo. Quando o bebe chora, esperneia por fome, raiva, dor ou o que quer que seja, é tratado com leite materno ou mamadeira, mais acalanto e calor do corpo da mãe. Essa associação cria um “atalho” cerebral em nível emocional muito precoce e poderoso (não esqueçamos que no período de amamentação o cérebro emocional está formado, mas o racional ainda não) e que poderá ser indevidamente disparada, movida, talvez, por fragmentos de estímulos, semelhantes à situação original, e dos quais não temos acesso racional. Estímulos internos sub liminares de desconforto levam a esses alimentos que aliviam provisoriamente esse mal estar e “solidificam” essa antiga associação.

Alguns “chocolatras” que necessitam emagrecer entram em depressão quando o chocolate é suprimido e abandonam a dieta, razão pela quais muitas nutricionistas incluem pequenas porções na reeducação alimentar.

Mas, quando o chocolate representa algo mais que isso, quando atua como lenitivo para emoções das quais a pessoa não tem consciência, deve ser trabalhada psicologicamente.

Fonte:Marco Antonio de Tommaso
É psicólogo e psicoterapeuta formado pela Universidade de São Paulo. Trabalhou no Ambulatório de Ansiedade do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo, em São Paulo. É credenciado pela Associação Brás para Estudo da Obesidade. Atua como orientador das modelos agenciadas pelas Agências Elite e L'Equipe.

10 comentários:

  1. Não conhecia o termo, mas parece que sou intima dele, acho que todas nós né? Beijos. Claudia.

    ResponderExcluir
  2. Queridona...força na peruca...Fico na torcida p. tudo sair bem, comendo ou não chocolate tenho tb. este troço ai...CRAVING.. eu dou o nome de pit, chilic, carência afetiva, surto ....Bjitos e fica em paz.

    ResponderExcluir
  3. Eu estou na minha fase craving, desde que nasci! chocolate é simplesmente MARAAA! ;)

    ResponderExcluir
  4. Amiga, valeuuu prlo blog...adorei, peguei e toh pegando umas diquinhas rsrsrs!!!

    Meninaaa, tho isso sabia? eu tho q comer um doce todo dia se ñ euuu morro...nem q seja um pedaço de bolo...hauahau, coisa maluca neh?

    Beijos Linda

    ResponderExcluir
  5. Miguxaa esse blog e tudo de bom!! Ja virei seguidora!! Não consegui pescar teu link, envia p mim para eu colocar em meu blog. BeijoKasss

    ResponderExcluir
  6. Tem selinho p vc em meu blog!
    BeijoKas

    ResponderExcluir
  7. Acho que tô nessa fase desde da época da faculdades! hahahaha... Bjinhos

    ResponderExcluir
  8. Olá!!!

    Sonia, obrigada por sua presença e comentário ao blog da Bellinha. Você é muito gentil, mas ela é minha neta e não minha filha. Ahh!! quisera fosse rsrs.
    Quanto aos agrotóxicos tomo todo o cuidado, sim, uso produtos orgânicos mesmo assim lavo com escovinha e coloco em solução para descontaminar .
    Sofro de graving (adorei conhecer o nome do personagem que me ataca a noite ) e é sempre carboidrato vindo do pão, então eu faço pão integral bem purinho cheinho de fibra que sacia mais. Apareça para uma visitinha básica viu. Até.
    bjokinhas

    ResponderExcluir
  9. Vivendo e aprendendo, não é mesmo? Sofro de graving desde que me conheço por gente, mas, o termo, só agora mesmo!

    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Puxa, essa eu não sabia! De vez em quando tenho ataques e como amendoim sem parar. kkkkkkkkkkkkkkkkkkk Tenho que me policiar. Bjusss

    ResponderExcluir

Indique o Blog!